segunda-feira, 12 de abril de 2010

Fugindo da 1ª Lei de Newton

Como todos devem perceber, há 200 anos o Capiau não dá as caras por aqui. O Grêmio já me fez o favor de perder mais um Grenal. Depois ganhou 15 vitórias seguidas e 51 jogos sem perder em casa. Aécio Never deixou de ser o governador de Minas. O filme do Lula passou pelas telas do cinema. Chico Xavier está em cartaz. E nada de eu vir aqui divagar.

Culpa da rotina. Rotina (não vou pesquisar), deve vir de rota. È o caminho que traçamos para o dia, semana e assim vai. Até que ela se estabeleça é um trabalho de repetição e depois se torna automático. Tanto que fica bastante complexo sair dela, da zona de conforto, na verdade. Você, companheiro de prosa, deve estar se perguntando o que foi que me deu, se eu bebi água do vaso ou apenas surtei mesmo. Afinal, todos sabem o que é a rotina e o que ela representa.

A razão é simples: é difícil sair da rotina até mesmo para pensar! E o que me fez parar para fazer isso? Uma carta que recebi. No NATAL! E não respondi. Parece muito difícil sair de minha casa, comprar papel, voltar para casa, sentar, pegar a caneta e escrever. Levantar, ir ao Correio e postar um envelope. Já deixei a carta por meses em cima da mesa para “lembrar” de responder. Hoje já não sei se tenho coragem de enviar a resposta para minha amiga Lílian. Tenho medo de ela nem se lembrar quem sou!

Seria muito mais fácil mandar um e-mail, um depoimento ou recado no orkut. Isso, porém, não tem charme algum.

Hoje resolvi quebrar a rotina (não, ainda não comprei papel para responder a tal carta). Quebrei a rotina de perder as manhãs na cama dormindo até a hora de almoçar e depois ir para o trabalho e vim ter um momento de devaneio em frente ao computador. A ideia é acabar com essa rotina preguiçosa e tomar tendência, mas é difícil sair da inércia. Pensando bem, se eu voltar a escrever como antes apenas terei mudado a rotina. Pelo menos será por algo útil.

Planejamento de hoje: terminar de lavar minhas roupas, almoçar e trabalhar. Planejamento de amanhã: estabelecer nova rotina – acordar, tomar café, malhar (capaz que isso vai acontecer), tomar banho, ler, escrever no blog, almoçar, trabalhar. Espaço após o trabalho rotineiramente reservado para o improviso.

Caros companheiros, não deixem que a falta de um pedaço de papel atrapalhe a vida! Escreva na embalagem do pão, mas escreva...

Um comentário:

  1. Esse lance ai de planejamento é o mesmo que enterro de anão ? rsrsrs

    ResponderExcluir